CONSTRUÇÃO DO TEATRO É RESULTADO DO DENODO DE TATUIANOS

by

 

Nesta quinta-feira (9), a edição impressa do Jornal Integração circulou, para seus assinantes e bancas, com a manchete sobre a reabertura do Teatro Procópio Ferreira. Surgiram muitos questionamentos. O principal é porque a atual administradora da escola escolheu um grupo musical de fora do quadro do Conservatório e não os “pratas da casa” abrir este evento. O tatuiano é bairrista e ama sua cidade. Qualquer desprezo à sua cultura é motivo de descontentamento. O grupo escolhido, como descreve as informações da assessoria de imprensa, é de grande talento. Mas, tatuianos entendem que esta apresentação poderia ser feita em outra oportunidade. O nosso semanário entrevistou o professor José Coelho de Almeida (foto) para que conte a história de como surgiu o teatro do Conservatório. Ainda, nesta postagem, uma matéria do Palácio do Governo descreve a preocupação do governador João Doria. Na quarta-feira (8), o candidato à presidência da República pelo PSDB, participou de um café da manhã com empresários, com a finalidade de  arrecadar dinheiro para robustecer o orçamento do Conservatório. O resultado da preocupação de Doria foi tão promissora e deu um ótimo resultado. A partir desta iniciativa de Dória, nenhum motivo justifica a O.S. Sustenidos demitir professores e exterminar com os grupos musicais pedagógicos da escola, que a direção utiliza desde 1970. Este método  transformou o Conservatório em grande escola de música, como reconhece o próprio governador Dória, na reunião com os empresários. E também não impede que a nova administradora se aventure em formar os seus grupos musicais somente com alunos. Este é apenas um alerta ao Gerente Geral do Conservatório, oriundo da gerência do  Projeto Guri, de Sorocaba. Veja abaixo a entrevista com o ex-diretor do Conservatório:

…………………………………………………

 Diante de informações controversas sobre a data de inauguração do Teatro do Conservatório, o Jornal Integração entrevistou o professor José Coelho de Almeida, ex-diretor da escola de música. Ele informa que a primeira utilização do teatro para concertos foi em 1975, e em 1976, iniciou-se o curso de teatro, coordenado pelo ator Moisés Miastwoski, contratado por ele. Em 1976, o prefeito Paulo Ribeiro, no dia 11 de agosto, usou as instalações para comemorar os 150 anos do município de Tatuí (Sesquicentenário).

O professor José Coelho de Almeida deu grande impulso para que o Conservatório conquistasse projeção nacional. Ele conta à reportagem que a história do teatro começa no dia 13 de abril de 1969, quando foi inaugurada a mudança da escola para o prédio cedido pela Câmara Municipal, na Rua São Bento, 515. Agora este trecho chama-se Rua Maestro Antonio Carlos Neves Campos, através de lei de autoria do vereador Antonio Marcos de Abreu, por sugestão do ministro aposentado Celso de Mello (STF).

 A solenidade teve a presença do secretário Orlando Gabriel Zancaner, da Cultura do Estado de São Paulo. Conta o professor Coelho que Zancaner, ao visitar a parte superior, com acesso através de uma rampa, pergunta ao prefeito Orlando Lisboa de Almeida: “a quem pertence este terreno (banhado) ao lado deste prédio?”. O prefeito informa que é do município e Zancaner responde: “então, se é do município, eu dou um teatro para o Conservatório”. Dr. Nelson Marcondes do Amaral, representante do governador Abreu Sodré na solenidade, diz de imediato: “Nelsinho, meu filho, arquiteto formado na FAU (Faculdade de Arquitetura e Urbanismo da USP), fará graciosamente o projeto arquitetônico”. E a partir desta data, começa a aparecer o Teatro do Conservatório. Das palavras ao papel e logo às obras. Por ser um projeto  complexo, somente em 1975, com a construção em andamento, parte do palco do teatro pode ser utilizado para as primeiras apresentações musicais e, em 1976, para apresentações teatrais.

Na solenidade de entrega do prédio cedido pela Câmara Municipal, em 1969, além do secretário Zancaner, estavam presentes o prefeito Orlando Lisboa de Almeida, Roberto Toledo, presidente da Fundação Manoel Guedes, e Juca Machado, presidente da Câmara e pai do maestro Adriano Machado, além de outras autoridades de Tatuí, diz o professor Coelho.

O ex-diretor do Conservatório esclarece que “tudo foi construído aos poucos, por falta de recursos”. E complementa que sempre toma conhecimento de novas inaugurações, mas entende que se apossam da obra de tatuianos, de acordo com o momento político e quem ocupa o poder estadual. Na realidade – diz Coelho – o seu término pode ser considerado no ano de 1982. O professor observa que “até hoje não foram implantados os equipamentos adequados para iluminação”.

Na história do Teatro do Conservatório, o que marca o ex-diretor são as palavras que ouvia do professor José Galvão. Quando ele se encontrava com o diretor, perguntava: “padre, quando vai terminar a Igreja?”. Esta referência era carinhosa. Galvão, como artista plástico tinha vasta cultura. E, como conhecia a dificuldade em construir as antigas igrejas da Europa e outros continentes, o teatro do Conservatório seguia o mesmo caminho. Somente a título de ilustração, a Igreja Sagrada Família, em Barcelona, é projeto de Antoni Gaudi. O artista catalão iniciou o templo em 1882.  É tão grandioso que o término da construção está previsto somente para 2026, segundo o cronograma de obras exposto aos visitantes.

………………………………

GOVERNADOR DORIA CAPTA

 RECURSOS PARA O CONSERVATÓRIO

Governador  reuniu interessados em financiar

melhorias e bolsas de estudo no Conservatório de Tatuí

Palácio dos Bandeirantes – Na quarta-feira (8), o governador  João Doria participou  de um café da manhã no Palácio dos Bandeirantes com lideranças de 30 empresas. Os recursos captados junto à iniciativa privada serão investidos em melhorias e ampliações de infraestrutura do Conservatório de Tatuí, que é uma das mais importantes escolas de música e artes cênicas da América Latina. “É mais uma iniciativa na área da cultura do Governo de São Paulo em conjunto com a iniciativa privada, seguindo exemplos de sucesso como a Pinacoteca Contemporânea, o MIS Experience e o Museu do Ipiranga”, afirmou Doria. “O Conservatório de Tatuí também cumpre a importante missão de formar jovens talentos das artes, a maioria de famílias carentes, o que aumenta ainda mais nossa responsabilidade”, acrescentou.

O Conservatório de Tatuí é vinculado à Secretaria de Cultura e Economia Criativa e gerido pela Sustenidos Organização Social de Cultura. O aporte da atual gestão já é o maior da história da escola que, entre 2019 e 2022, recebeu R$ 104 milhões para atendimento a 2,2 mil alunos, com 500 novas vagas por ano. Além do orçamento estadual de R$ 27 milhões previsto para 2022, está previsto um aporte do Estado de R$ 4,6 milhões para reforma de instalações.

Os recursos que serão captados da iniciativa privada serão investidos em melhorias e ampliações de infraestrutura, compra de novos instrumentos musicais e oferta de bolsas de estudos para alunos que estão no exterior.

No próximo ano, o Governo de São Paulo prevê ampliação do número de bolsas, criação de ateliês de iniciação artística, modernização da oficina de artes cênicas e a implantação de um novo plano pedagógico para o Conservatório. O Teatro Procópio Ferreira, com capacidade para 430 pessoas e considerado uma das melhores salas de espetáculos do país, foi reformado e acaba de ser entregue à população. “São transformações positivas que melhoram e ampliam ainda mais o Conservatório de Tatuí, tudo isso em parceria com a Prefeitura local e a iniciativa privada”, declarou o Secretário de Cultura e Economia Criativa Sérgio Sá Leitão. “É uma demonstração do compromisso do Governo de São Paulo com a área cultural.”
 Com 70 anos de tradição, o Conservatório de Tatuí mantém mais de cem cursos gratuitos e oferece 250 bolsas anuais. Também mantém 38 grupos artísticos e pedagógicos nas áreas de música e artes cênicas, assegurando progressão continuada aos alunos por toda a formação.
A instituição conta com quatro unidades educacionais com salas de aula, auditórios e um alojamento com capacidade para abrigar até 200 alunos, além de um polo no município de São José do Rio Pardo (SP).

………………………………….

CONCERTO MARCA REABERTURA DO

TEATRO DO CONSERVATÓRIO

            Neste sábado (11), às 19 horas, um concerto do Quarteto de Cordas da Cidade de São Paulo, grupo artístico do Theatro Municipal de São Paulo, marca a reabertura do Teatro “Procópio Ferreira” do Conservatório de Tatuí. O espaço artístico ficou fechado durante dois anos, em razão da pandemia. A entrada é gratuita e os ingressos estão disponíveis para retirada desde a terça-feira (7), na bilheteria, na Rua Antonio Carlos Neves Campos (antiga São Bento, 415).

O Quarteto de Cordas, composto atualmente por Betina Stegman e Nelson Rios (violinos), Marcelo Jafé (viola) e Rafael Cesário (violoncelo), irá apresentar as peças “Quarteto de Cordas em sol menor Op. 10”, de Claude Debussy) e “Quarteto de cordas nº 1”, de Charles Ives. O grupo, fundado em 1935 com a ideia de difundir a música de câmara e estimular compositores brasileiros, é fixo do Theatro Municipal de São Paulo e já foi agraciado com os prêmios “Carlos Gomes”, como Melhor Conjunto de Câmara, e “APCA”, como Melhor Conjunto Camerístico.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s


%d blogueiros gostam disto: